Home » » Mercosul vai zerar tarifa de importação de carros da União Europeia em 15 anos, prevê acordo

Mercosul vai zerar tarifa de importação de carros da União Europeia em 15 anos, prevê acordo

NF terça-feira, 2 de julho de 2019 | 10:08:00



Os países do Mercosul vão zerar o imposto de importação para carros fabricados na União Europeia num prazo de 15 anos, a partir do início de validade do acordo comercial anunciado na última sexta-feira (28) pelos blocos.



O texto com esses detalhes, divulgado nesta segunda (1º), não cita reciprocidade nessa medida -- ou seja, carros fabricados no Brasil não teriam a mesma vantagem para serem vendidos na Europa.

O pacto ainda não tem data para entrar em vigor: ainda precisa ter um texto final e ser aprovado pelos congressos dos países envolvidos.

Passo a passo da redução

Como é hoje: carros importados de países que não têm acordo comercial com o Brasil pagam imposto de importação de 35% (casos dos europeus e dos asiáticos, por exemplo);

Primeiro haverá cota: quando o acordo com a União Europeia começar a valer, a alíquota de 35% será reduzida à metade para um montante anual de 50 mil carros. Essa quantia vale para todo o bloco sul-americano, por 7 anos. O Brasil poderá importar 32 mil carros ao ano com desconto.



Depois, abrangência total: depois desses 7 anos, a alíquota passará a cair para todas os carros importados da UE, gradualmente, até ser eliminada.

Montadoras pediram 'carência'

Segundo o secretário especial de comércio exterior e assuntos internacionais do Ministério da Economia, Marcos Troyjo, esse período de 7 anos de "carência", até o livre comércio de carros entre Mercosul e União Europeia foi um pedido das montadoras.

Para Troyjo, não haverá prejuízo para a indústria nacional. “É uma liberalização controlada. Você impede uma explosão, mas ao mesmo tempo você mantém uma tarifa bem acima da média”, disse, nesta segunda.



15% dos importados vêm da UE

Atualmente, todos os carros vindos de países sem acordo comercial com o Brasil pagam os 35% de imposto de importação - o que é o caso dos europeus até o momento.

Em 2018, o Brasil comprou US$ 661 milhões em veículos da UE. Isso equivale a 15,6% dos US$ 4,19 bilhões em automóveis importados pelo país ao longo do último ano. Os números são do Ministério da Economia.

A Alemanha foi quem mais exportou veículos para o Brasil no ano passado, em termos de valores: US$ 253 milhões, ou pouco mais de 5% do total comercializado. Em seguida, aparecem Reino Unido (US$ 131 milhões), França (US$ 86,4 milhões) e Suécia (US$ 48,9 milhões).

Os valores não significam, necessariamente, que estes países forneceram mais unidades para o Brasil. O levantamento realiza divisões considerando valor e peso dos produtos importados.

Isso quer dizer que um país pode enviar uma quantidade menor de veículos, mas com custo unitário maior. É o caso da Itália, por exemplo. De lá, chegam veículos de milhões de reais, caso das Ferrari, Lamborghini e Maserati.

Fábrica da Ferrari, em Maranello — Foto: Stefano Rellandini / Reuters
Fábrica da Ferrari, em Maranello — Foto: Stefano Rellandini / Reuters



Em peso, foram apenas 309 toneladas, mas que somam US$ 22,9 milhões. É mais do que a Holanda, por exemplo, que exportou 1.050 toneladas para o Brasil, mais do que o triplo, só que com valor de US$ 12,5 milhões.

O valor médio coloca a Itália no topo deste ranking. Cada tonelada de veículo exportado para o Brasil teve custo médio de US$ 74,3 mil. É cinco vezes mais do que a segunda colocada, Alemanha, com custo médio de US$ 14,8 mil.

Veja abaixo quanto cada país da União Europeia exportou de veículos para o Brasil em 2018.


Origem curiosa

Pode parecer óbvio que marcas como Audi e Porsche exportem veículos apenas da Alemanha. Ou que a Volvo só envie carros feitos na Suécia. Mas nem sempre isso acontece.

Audi Q7 e Porsche Cayenne, por exemplo, são produzidos na Eslováquia, enquanto o Mini Cooper Cabrio é feito na Holanda. A sueca Volvo também produz em outros países, além de sua terra natal. V40 e XC40, por exemplo, são importados da Bélgica.

Porsche Cayenne é produzido na Eslováquia — Foto: Marcelo Brandt/G1
Porsche Cayenne é produzido na Eslováquia — Foto: Marcelo Brandt/G1


Fonte: G1



Curta nossa Página


SHARE

About NF

0 comentários :

Postar um comentário