segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Morre tenente que foi baleado durante fuga em massa no presídio de segurança máxima de João Pessoa/PB



O tenente da Polícia Militar na Paraíba Erivaldo Moneta da Silva, 36 anos, que foi baleado na cabeça durante a fuga em massa de 105 presos da Penitenciária de Segurança Máxima Doutor Romeu Gonçalves de Abrantes (Presídio PB1), teve morte encefálica na manhã desta segunda-feira (10) no Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa.


Erivaldo Moneta era natural do Recife, em Pernambuco, e ingressou na Polícia Militar da Paraíba a partir de 2005 quando fez o Curso de Formação de Soldados após a aprovação no concurso público. O tenente foi baleado enquanto estava na Academia de Polícia Civil (Acadepol), que fica localizada na rodovia estadual PB-008, após troca de tiros com criminosos que estavam fugindo do Presídio PB1.

De acordo com o capitão da Polícia Militar M. Lima, o tenente Moneta era um pai e profissional exemplar. “Ele era um militar dedicado e prestativo, de caráter ímpar e boa índole. O tenente Moneta era um filho e pai exemplar, uma pessoa iluminada e especial para nós”, destacou.

Segundo a polícia, os criminosos que agiram no plano de fuga na unidade prisional chegaram em quatro carros e atiraram contra a guarita do presídio, o alojamento e o portão principal da unidade, arrombado com a detonação de explosivos. A Polícia Civil relatou que a ação tinha como objetivo possibilitar a fuga de quatro homens presos no início de agosto em Lucena após explodirem um carro-forte na BR-230.





Curta nossa Página


Nenhum comentário:

Postar um comentário