terça-feira, 7 de agosto de 2018

Polícia prende quadrilha suspeita de explodir carro-forte, apreende arsenal e recupera dinheiro roubado



A Polícia Militar realizou, no fim da tarde desta segunda-feira (6), a prisão de uma quadrilha suspeita de ter explodido um carro-forte pela manhã, nas proximidades da entrada da cidade de Pedras de Fogo, na BR-230, próximo ao município de Santa Rita. Só neste ano, pelo menos 41 pessoas foram presas pela PM suspeitas de envolvimento em ataques a instituições financeiras, como bancos, correspondentes bancários e lotéricas.

Após o crime, as unidades da região metropolitana direcionaram suas equipes para locais que seriam possíveis rotas de fugas dos suspeitos. Durante as diligências, dois veículos que teriam sido usados na ação foram localizados. Um deles estava incendiado em uma estrada vicinal na zona rural da região. O outro veículo foi encontrado nas proximidades de um condomínio fechado, na área rural do município de Santa Rita. Um terceiro veículo roubado pelos suspeitos teria um rastreador e indicou a localização do grupo.

Minutos depois, as guarnições policiais chegaram à cidade de Lucena, e foi dado início às diligências na cidade, tendo os policiais localizado o grupo em uma residência no município. Os bandidos, ao perceberem a presença da PM, começaram a atirar contra os policiais, que revidaram. Um policial foi ferido de raspão na mão, e está fora de perigo.

Após a troca de tiros, e cerco no local, foi iniciado o processo de negociação para rendição dos criminosos. Segundo o tenente-coronel Pablo Cunha, comandante do 7º Batalhão e que conduziu as negociações, a residência permaneceu cercada por equipes do policiamento local, além de equipes de apoio de outras unidades próximas e guarnições do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

“Depois que cessou a troca de tiros, iniciamos as negociações e após poucas horas conseguimos êxito e os quatro criminosos que estavam na casa se renderam. As equipes do Grupamento de Ações Táticas Especiais realizaram uma varredura no local e encontraram 10 armas, muitas munições, carregadores, coletes balísticos, além de outros materiais usados na ação e ainda dinheiro roubado do proprietário do veículo”, pontuou o comandante.

Dois dos presos já eram procurados pela polícia e são de Campina Grande. “Todos os suspeitos já respondem por outros crimes similares”, afirmou o tenente-coronel Pablo. Na residência onde a quadrilha foi presa, foram apreendidas 10 armas de fogo, sendo cinco fuzis, 4 deles calibre 762 e um deles calibre .50, e ainda uma carabina .30, além de 4 pistolas 9mm.

No local também foram encontradas emulsões encartuchadas para uso em explosões, quatro coletes balísticos, roupas camufladas, máscaras e recuperados parte do dinheiro roubado pela quadrilha e um veículo roubado durante a fuga. Todos os presos, armas e materiais apreendidos foram conduzidos para a Delegacia da Polícia Civil, do Grupo de Operações Especiais (GOE), em João Pessoa, no início da noite, após quase 8 horas de operação.





Curta nossa Página

Nenhum comentário:

Postar um comentário