quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Lula declara patrimônio de R$ 8 milhões, 852% a mais que em 2006



O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarou nesta quarta-feira (15) ter patrimônio de R$ 8 milhões, uma alta de 852% em relação ao seu último informe eleitoral de bens, em 2006, ano em que disputou a reeleição.

A inflação acumulada neste período foi de 97%.

Preso desde 7 de abril devido à condenação em segunda instância pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá (SP), Lula tem R$ 6,3 milhões em VGBL, fundo de previdência privada.

Além disso, o ex-presidente declara a posse de três terrenos sendo que um deles tem o valor declarado de um pouco mais de 5 mil Reais, e três apartamentos sendo dois deles com o valor de um pouco mais de 38 mil Reais.

Sua declaração de 2006 listou bens de R$ 839 mil, entre eles um terreno, três apartamentos em São Bernardo do Campo (SP) e um em construção, no Guarujá (SP), o mesmo empreendimento pelo qual foi condenado.

De acordo com a sentença do juiz Sergio Moro, confirmada em segunda instância, Lula recebeu propina da OAS por meio de um tríplex neste empreendimento.

Em documento entregue por Lula ao fisco em dezembro de 2010, quando encerrou seus dois mandatos na Presidência da República, Lula havia declarado patrimônio de R$ 1,9 milhão.

A evolução patrimonial se deve a renda com a L.I.L.S, empresa de palestras de Lula, criada após ele deixar a Presidência.

Entre 2011 e 2015, a L.I.LS. distribuiu lucros e dividendos no valor de R$ 8,5 milhões para o petista. Nesse período, Lula deu cerca de 70 palestras no Brasil e exterior, segundo afirmou à Polícia Federal.

Ao todo, 13 candidatos devem disputar a presidência da República em outubro.

Levando em conta os bens declarados, dois deles são muito mais ricos que os demais: o empresário João Amoêdo (Novo), que disputa sua primeira eleição, com R$ 425 milhões, e o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles (MDB), com R$ 377 milhões.

Os demais concorrentes têm patrimônio informado abaixo dos R$ 10 milhões. Embora não sejam obrigados a seguir as regras da Receita Federal, que não permite a atualização dos valores de bens imóveis declarados, a maioria dos políticos recorre a essa manobra para informar um patrimônio menor do que o real. Não há irregularidade, já que a lei exige apenas a relação dos bens.

Cabo Daciolo (Patriota) -que é deputado federal desde 2015 e recebe salário bruto de R$ 33,7 mil- é o único que disse à Justiça não ter nenhum bem.

A candidata da Rede, Marina Silva, se declara mais pobre nesta eleição. No documento protocolado no TSE a ex-senadora declara ter R$ 118 mil em patrimônio. Em 2014, Marina afirmava ter R$ 181 mil em bens.

De lá para cá, a candidata manteve a casa e os seis lotes em uma chácara em Rio Branco, no valor de R$ 60 mil e R$ 42 mil, respectivamente. As aplicações bancárias declaradas minguaram: de R$ 30 mil no banco HSBC há quatro anos, Marina passou a ter R$ 7.159.


Folha



Curta nossa Página


Nenhum comentário:

Postar um comentário