terça-feira, 21 de agosto de 2018

Exportadora da Rússia diz que planeja abrir fábrica de fuzis Kalashnikov na Venezuela



Rússia planeja abrir em 2019 uma unidade de produção de fuzis Kalashnikov na Venezuela, disse nesta terça-feira (21) a exportadora estatal de armas Rosoboronexport, segundo a agência de notícias Russia Today.


"A fábrica de armas de fogo [na Venezuela] será lançada em 2019", disse o diretor-geral da empresa, Alexandr Mijeev, a repórteres nos bastidores da feira internacional de defesa Exército, em Kubinka, perto de Moscou.

Além da fábrica de fuzis, a empresa também colocará em funcionamento, ainda neste ano, seu centro de manutenção helicópteros na Venezuela.

Afundada em uma grave crise social e econômica, a Venezuela deu início a um novo plano de recuperação econômica para tentar contar a hinflação que assola o país. Segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI), a inflação do país de Nicolás Maduro deve chegar a 1.000.000% neste ano.

De acordo com outra agência, a Interfax, a Rosoboronexport também começará a exportar em 2019 seu avançado sistema de defesa antimísseis S-400 à Turquia.

Os Estados Unidos têm expressado preocupação de que a implementação do sistema S-400 pela Turquia, integrante da Otan, possa colocar em risco a utilização de diversas armas fabricadas pelo país norte-americano utilizadas pelos turcos, como o caça F-35.

A Rosoboronexport informou, ainda, que utilizará moedas locais nos acordos de comércio exterior em vez do dólar, segundo a Russia Today.

Os interesses de China e Rússia em apoiar a ditadura socialista comunista de Maduro na Venezuela, é manter a Venezuela como um regime que causa problemas aos EUA. Faz parte da relação de tensão, quase de uma nova Guerra Fria, como se convencionou chamar a relação entre os EUA e a China e entre os EUA e a Rússia.





Curta nossa Página


Nenhum comentário:

Postar um comentário