sexta-feira, 27 de julho de 2018

Justiça do Rio suspende direitos políticos de Garotinho por oito anos



O ex-governador Anthony Garotinho teve os direitos políticos suspensos pela Justiça pelos próximos oito anos. O desembargador Ricardo Cardoso, da 15ª Câmara do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) comunicou a sua decisão ao Conselho Nacional de Justiça. Pré-candidato ao Governo do Rio de Janeiro, Garotinho afirmou que vai recorrer.

Anthony Garotinho é acusado de desviar R$ 243 milhões da Secretaria Estadual de Saúde entre 2005 e 2006, quando a esposa dele, Rosinha Matheus, era governadora. Na ocasião, Garotinho era pré-candidato a presidência da República e chegou a fazer uma greve de fome em protesto contra as investigações do Ministério Público, que identificaram doações eleitorais de empresas de fachada que seriam abastecidas por supostos desvios na Saúde do estado.

Cerca de 30 pessoas foram réus na ação. A Justiça decidiu desmembrar o caso em vários processos. A recente decisão se refere apenas ao processo do ex-governador. Além da perda dos direitos políticos por oito anos, ele foi condenado a pagar R$ 234 milhões ao estado, mais multa de R$ 500 mil por danos morais. O nome do ex-governador será incluído no cadastro nacional de condenados por atos de improbidade administrativa e por atos que o tornam inelegível.

O Tribunal de Justiça do Rio informou que o processo corre em segredo de justiça e não passou maiores detalhes. A decisão foi proferida em 8 de maio, a cerca de três meses para a convenção do PRP que definirá o nome de Garotinho na disputa pelo governo do estado do Rio, a ser realizada em 5 de agosto. A decisão foi noticiada pelo jornal O Globo nesta quinta-feira (26).

Defesa de Anthony Garotinho

No dia 11 de julho, Garotinho foi anunciado como pré-candidato ao Governo do Rio de Janeiro pelo Partido Republicano Progressista (PRP). Para Garotinho, o julgamento do Tribunal de Justiça do Rio é bastante polêmico.

A defesa do ex-governador afirmou ainda que ele foi julgado sem advogado, em um claro cerceamento de defesa. Anthony Garotinho disse ainda que a condenação não possui efeito imediato porque o processo não foi transitado e julgado e que vai recorrer.





Curta nossa Página

Nenhum comentário:

Postar um comentário