segunda-feira, 23 de julho de 2018

Estado vai atualizar conteúdos das aulas em escolas do Rio Grande do Norte



A educação do Rio Grande do Norte está elaborando e discutindo Diretrizes e Matrizes Curriculares para o RN, que vão nortear as escolas públicas e privadas no ensino e aprendizagem. Ao longo desta semana, diversos seminários de mobilização foram realizados com coordenadores pedagógicos de todo o estado para ampliar a discussão em torno da versão preliminar da Matriz. Um dos projetos do acordo de empréstimo com o Banco Mundial é justamente criar uma Matriz Curricular para o Estado e, para tanto, a consultoria da Fundação Vanzolini foi contratada.

O debate está acontecendo em Natal, Mossoró e Caicó. “Este é um trabalho importante e histórico que estamos fazendo em regime de colaboração com os municípios de todo o Rio Grande do Norte. Estamos discutindo hoje uma versão preliminar da matriz curricular que vamos abrir para consulta pública de toda sociedade. Professores, gestores, diretores, coordenadores, comunidade escolar e sociedade civil poderão fazer análise crítica e contribuições a este documento, que ficará disponível na plataforma a partir de 3 de agosto”, detalha a coordenadora de Desenvolvimento Escolar da Secretaria Estadual de Educação (SEEC), Jailma Carvalho.

O Rio Grande do Norte tem hoje 610 escolas estaduais e uma média de 240 mil alunos na rede, sendo quase 100 mil no Ensino Médio. A Matriz Curricular que está sendo produzida, com o apoio da Fundação Vanzolini, vai nortear não só a rede estadual, mas também a municipal, federal e privada de todo o Estado. A coordenadora pedagógica de Lagoa de Pedras, Rosineide Sena, esteve ontem na discussão e destacou a importância do documento.

“Ter uma matriz no Estado é fundamental porque nossos alunos não irão mais sofrer com os impactos ao mudarem de escola ou de município. Todos seguiremos este norte de ensino e aprendizagem. Atualmente cada escola desenvolve do seu jeito e isso traz muitos prejuízos para o estudante que precisa mudar de escola ou de município”, conta Rosineide.
Para a secretária de Educação do RN, Cláudia Santa Rosa, “essa ação tem impactos nas aprendizagens dos estudantes, uma vez que estabelece competências e habilidades essenciais que todas as crianças e jovens têm direito de aprender para se desenvolver, independente da rede de ensino em que esteja matriculado”.

O trabalho começou a ser desenvolvido em outubro passado e conta com a consultoria da Fundação Vanzolini, contratada pelo Governo do RN, projeto Governo Cidadão e Banco Mundial. A Matriz Curricular está sendo debatida e tem como referência a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) da Educação Infantil e Ensino Fundamental, homologada pelo Conselho Nacional de Educação. O documento potiguar será colocado à disposição da sociedade no próximo dia 3 de agosto.

Para o secretário e coordenador do projeto Governo Cidadão, Vagner Araújo, a construção de uma Matriz Curricular própria é um marco na história da educação potiguar. “Hoje não dispomos de um documento guia como este e isso gera certas distinções entre os modelos de aprendizagem desenvolvidos nas escolas particulares, municipais, estaduais e federais. Vamos unificar isso com participação ativa da comunidade escolar e sociedade civil, preservando as peculiaridades de cada município”, destaca.





Curta nossa Página

Nenhum comentário:

Postar um comentário