quarta-feira, 18 de julho de 2018

Ciro chama promotor de “filho da puta” após ser processado por injúria racial



presidenciável Ciro Gomes (PDT) chamou um promotor de São Paulo de “filho da puta” durante evento da Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) ontem (18). Simplesmente porque o membro do Ministério Público Estadual de SP resolveu processar o pedetista por injúria racial.

“Agora um promotor aqui de São Paulo resolveu me processar por injúria racial. E pronto, um filho da puta desses faz isso e pronto. Ele que cuide de gastar o restinho das atribuições dele, porque se eu for presidente essa mamata vai acabar”, bradou Ciro.

Ciro, em uma entrevista à rádio Jovem Pan, disse que o vereador negro Fernando Holiday (DEM-SP) era um capitãozinho do mato. O FG é mestre em falar o que quer e depois se fazer de vítima, para não sofrer as consequências de sua já tradicional verborragia.

Em tempo

O presidenciável, ontem ainda foi mais longe. “Então eu tenho a minha biografia, a minha honradez, e porque viro candidato, um camarada resolve me processar por injúria racial. E se ele me causa um prejuízo político, eleitoral, imagético e tal, quem me indeniza?”.

Em tempo II

Em sua biografia, Ciro já disse que iria sequestrar Lula, receberia a turma do Moro à bala, que a política brasileira precisava de testosterona (quando perguntado sobre a candidatura de Marina Silva) e que a função de sua então mulher Patrícia Pillar, na Eleição de 2002, era dormir com ele. O FG nega tudo. O FG nega tudo.

Em tempo III

O alvo do xingamento do pré-candidato foi uma mulher, uma promotora, e não um homem, como supôs Ciro. O nome da investigadora está sendo preservado pelo órgão.

Confira a fala de Ciro







Curta nossa Página

Nenhum comentário:

Postar um comentário