quarta-feira, 25 de julho de 2018

Caern nega o descarte de esgoto domiciliar sem tratamento no Rio Potengi



A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) negou nesta quarta-feira, 25, o despejo irregular de esgoto domiciliar no Rio Potengi. A suposta poluição do maior afluente potiguar é alvo de uma ação do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), que entrou com pedido de intervenção judicial do órgão estadual.

Segundo a Promotoria de Defesa do Meio Ambiente, em levantamento feito ainda no mês de abril deste ano, oito Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) da capital apresentaram descarte irregular de resíduos nas águas do Rio Potengi.

Os resultados da análise ambiental do Ministério Público foram refutados pela direção da Caern. “Nós monitoramos diariamente o descarte de esgoto. Não sabemos os parâmetros utilizados pela promotoria. Além disso, apresentamos relatórios mensais aos órgãos ambientes”, afirma Marcelo Toscano, diretor geral da Caern.

Ainda segundo Marcelo Toscano, o pedido de intervenção foi visto com surpresa. “Estamos trabalhando para melhorar a estrutura sanitária de Natal. Não há justificativa para uma intervenção. O interventor vai fazer o quê?”, indaga.

As oito unidades de tratamento de esgoto apontadas como poluidoras pelo Ministério Público, de acordo com a Caern, serão desativadas em breve. As estruturas serão substituídas pelas novas Estações de Tratamento de Esgoto de Jaguaribe (Zona Norte) e do Guarapes (Zona Oeste). Estes dois novos equipamentos começarão a operar, de forma parcial, já no fim do ano. “Vamos desativar estas estações, que são antigas, por duas estruturas modernas”, ressalta Marcelo Toscano.


Agora RN



Curta nossa Página

Nenhum comentário:

Postar um comentário