sexta-feira, 27 de julho de 2018

Bolsonaro diz ser ‘mais simpático’ ao astronauta Marcos Ponte como vice



Na última segunda-feira, o presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, disparou uma mensagem para a sua lista de contatos no WhatsApp. Nela, um link levava a uma enquete publicada na página “Bolsonaro Opressor 2.0”, que lançava a seguinte pergunta: “Quem você prefere para ser o vice-presidente do Bolsonaro?”. Logo abaixo, as fotos do astronauta Marcos Pontes e do príncipe Luiz Philippe de Orleans e Bragança.

A página tem mais de um milhão de seguidores. Até a tarde de ontem, 9,4 mil tinham votado na enquete: 75% escolheram o príncipe, 25%, o astronauta. A votação, contudo, vai contra a vontade de Bolsonaro:

— Sou muito mais chegado ao astronauta, conheço ele, mas reconheço o valor do príncipe. Com o astronauta já conversei várias vezes pessoalmente. Se for falar em voto, ele agrega a comunidade científica e a garotada no Brasil gosta dele.

Entre idas e vindas e demonstrando alguma indecisão, o presidenciável não descarta a possibilidade de ter o príncipe como vice, opção “extremamente agregadora”:

— No meu círculo de amizade, o pessoal é mais simpático ao príncipe. Eu, particularmente, sou mais simpático ao astronauta, mas não há um fator determinante. Vou ouvir. Se tivesse de decidir hoje, seria o príncipe. É o consenso, até porque traz um civil e evita dois militares na chapa.

Em viagem à Argentina, o príncipe Luiz Philippe, que também administra uma distribuidora de motopeças e é pré-candidato a deputado federal por São Paulo, informou que ainda não recebeu convite:

— Não há proposta feita, mas a internet já está avaliando isso. Cabe às lideranças decidirem. Estou disponível.

Nos Estados Unidos para um ciclo de palestras no Kennedy Space Center, centro de lançamento de foguetes da Nasa, o astronauta Marcos Pontes também aguarda o futuro incerto da chapa de Bolsonaro.

— O que ele (Marcos Pontes) tem conversado comigo é que nunca pensou em ser vice. Ele está como segundo suplente na chapa do Major Olímpio para o Senado e gostaria de participar com ideias no Ministério da Ciência e Tecnologia. Essa é a pretensão dele.

Depois da recusa do senador Magno Malta (PR-ES), que preferiu disputar a reeleição, o nome do general da reserva Augusto Heleno Ribeiro (PRP) surgiu como opção, mas seu partido rejeitou a aliança. Foi a vez de Janaína Paschoal ser cortejada.

Na convenção do PSL, no entanto, Janaína criticou o “pensamento único” de seguidores do presidenciável, o que desagradou a aliados.

— Tem um universo em aberto, nada definido. Só quero, quando for anunciar, ter o nome definitivo para ir pro pau. Não podemos mais apresentar um possível nome e recuar — disse Bolsonaro.




Curta nossa Página

Nenhum comentário:

Postar um comentário