sábado, 21 de julho de 2018

10 itens que deixam seu carro melhor e mais caro



A mudança de comportamento do consumidor faz os modelos "pelados" serem difíceis de revender e muito depreciados. Além de melhorar a vida a bordo, equipamentos de conforto e segurança ajudam a preservar o valor.

A professora Aline Iozzi, 39, trocou seu Fiat Palio Fire 2009 básico, duas portas, por um Honda Fit LX 2018 automático. A melhor oferta que obteve pelo seu antigo carro foi de R$ 10 mil.


De nada adiantava o Fiat estar em bom estado de conservação: a falta de equipamentos limitava seu mercado.


Um Palio de mesmo ano, quilometragem e versão, mas completo e com quatro portas, poderia ser vendido para uma loja por R$ 14 mil, segundo cálculo da KBB, empresa especializada na precificação de carros novos e usados.


Dos dez itens que mais valorizam o automóvel, os de custo mais elevado são o teto solar panorâmico e o câmbio automático. Juntos, podem elevar o preço do veículo em até R$ 10 mil. A lista inclui ainda sistema de som que se conecta a smartphones e rodas de liga leve em vez de calotas.


Há também itens adicionais que melhoram o carro e podem ser instalados em oficinas independentes. Os mais procurados segundo lojistas ouvidos pela reportagem são bancos de couro (a partir de R$ 1.500) e câmera de ré (de 150 a R$ 500, com tela instalada no painel ou no retrovisor).


As montadoras começam a investir em acessórios instalados na fábrica. A FCA Fiat Chrysler têm áreas contíguas às linhas de montagem que se dedicam a instalar opcionais.


Segundo Guilherme Vasconcelos Ferreira, coordenador da área acessórios das marcas Fiat e Jeep, o cliente escolhe o que deseja adicionar no carro e já recebe o veículo com os equipamentos.


No site da Fiat, o pacote que inclui forração de couro e airbags laterais para um sedã Cronos 1.8 flex (R$ 57,5 mil) custa R$ 2.600.

Na Renault, a diferença de preço entre o Kwid básico e a versão equipada com ar-condicionado e direção elétrica é de R$ 5.000.


Para a professora Aline, o mais importante foi o ganho de segurança proporcionado pelo carro novo. "Nem imaginava que esse Fit tinha airbags laterais, mas fiquei animada ao saber. Tenho dois filhos e pouca experiência em estrada", diz a professora.


Além de tornar o veículo mais seguro, itens adicionais de proteção devem valorizar o bem no futuro.


Em dezembro, o Contran (Conselho Nacional de Trânsito) divulgou uma lista de exigências para homologação de novos carros que entrará em vigor gradativamente. Uma das propostas é a maior proteção ao ocupante em impactos de lado, o que fará os airbags laterais serem indispensáveis.





Curta nossa Página

Nenhum comentário:

Postar um comentário