sábado, 6 de janeiro de 2018

Venezuela obrigou supermercados de portugueses a baixarem os preços



As autoridades venezuelanas obrigaram, na sexta-feira, 214 sucursais de 26 redes de supermercados a baixarem os preços dos produtos para valores inferiores aos comercializados no princípio de dezembro, afetando várias unidades detidas por portugueses.


A medida, aplicada pela Superintendência de Preços Justos (Sundde) afetou, entre outras, as redes de supermercados Central Madeirense, Unicasa, Plazas, Excelsior Gama, Luvebras, propriedade de portugueses radicados na Venezuela.

Segundo o superintendente William Contreras, as autoridades "comprovaram que grandes cadeias estavam a remarcar (marcar em alta) os preços, sem justificação" por "se tratar de produtos que tinham em inventário".

"Já não podemos considerar estes atos como de simples especulação, são atos criminosos contra o povo. Não há razão para que estejam fazendo estes alterações de preços e por isso estamos aplicando corretivos", disse aos jornalistas.




Curta nossa Página