sábado, 6 de janeiro de 2018

Tamanho do botão é passado: Trump diz estar pronto para conversar com Kim Jong-un



O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que está pronto para conversar e negociar com o líder norte-coreano Kim Jong-un, acrescentando que, no entanto, existem certas condições prévias para tais negociações.


Neste sábado, Trump foi convidado durante uma conferência de imprensa para falar se ele estava disposto a conversar por telefone com o líder norte-coreano.

"Eu sempre acredito em conversar. Nossa posição, você sabe o qual é. Somos muito firmes […] mas eu seria — absolutamente, eu faria isso. Nenhum problema com isso, de forma alguma", disse Trump a jornalistas, citado pela CBS News.

Nesta semana, Trump e Kim se envolveram em um novo duelo de palavras. Depois do líder norte-coreano falar que tinha um botão em sua mesa que poderia dar início a uma guerra nuclear, o presidente dos EUA rebateu, afirmando que o seu botão nuclear seria "maior".

Ao mesmo tempo, Trump observou que os Estados Unidos não estavam prontos para conversar sem quaisquer pré-requisitos.

Em dezembro, o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, declarou que Washington estava disposto a negociar com a Coreia do Norte, desde que Pyongyang parasse seus testes nucleares e de mísseis.

As tensões na Península da Coreia subiram recentemente devido aos repetidos testes nucleares e de armas realizados por Pyongyang em violação das resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

O diálogo entre a Coreia do Sul e o Norte foi retomado neste semana e teve como tema central a questão da participação dos atletas norte-coreanos nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018, que acontecem em fevereiro na Coreia do Sul.

"Eu adoraria vê-los levar [o diálogo] para além das Olimpíadas", disse Trump. "E, no momento apropriado, vamos nos envolver". Ele acrescentou que, se algo pudesse sair das conversações, "isso seria uma ótima coisa para toda a humanidade".

No próximo dia 9, é aguardado um encontro entre delegações dos dois países na aldeia fronteiriça de Panmunjom, na primeira reunião de alto nível em anos.





Curta nossa Página