segunda-feira, 8 de janeiro de 2018



A Globeleza nunca esteve tão comportada. Na nova vinheta de Carnaval a Globo parece ter dado adeus aos closes na mulata nua que requebrava ao som do “lá vou eu…” Érika Moura, a Globeleza, aparece neste ano mais vestida do que nunca.


Segundo a emissora, a nova vinheta consolida o conceito lançado no ano passado, de dar mais espaço aos ritmos das festas tradicionais do país, à diversidade do povo brasileiro e à riqueza cultural do evento. O samba, o frevo, o maracatu, o axé, o bumba meu boi e o carnaval tradicional de avenida, representado pelo mestre-sala, pela porta-bandeira e pelos passistas, seguem como protagonistas. Porém, outros elementos também estão presentes, como máscaras de baile, bonecos de Olinda e bois de Parintins. “A vinheta de 2018 é uma evolução gráfica desse conceito e amplia a representatividade das festas e dos ritmos que compõem o carnaval brasileiro”, conta Alexandre Romano, diretor de arte da Comunicação da Globo, responsável pela concepção do filme. A tradicional trilha sonora também tem novidades. Além do repique, tamborim, surdo e pandeiro, há o suporte de outros instrumentos de percussão, sopro e metal.

No posto de musa do Carnaval Globeleza pelo quarto ano consecutivo, Erika Moura conta que o retorno do público sobre o novo conceito da vinheta não poderia ser melhor. “O fato de mostrar um pouco mais da nossa cultura, trazendo os carnavais de outras regiões, além do samba, fez com que as pessoas se sentissem ainda mais representadas. Viajei muito pelo país no ano passado e vi que as pessoas ficaram satisfeitas com essa mistura”, conta Erika. “Esse ano, vamos ampliar ainda mais, mostrando, entre outros, os bonecos gigantes do carnaval de Olinda pela primeira vez”.

Keila Jimenez – R7




Curta nossa Página