segunda-feira, 8 de janeiro de 2018



A pesquisa avaliou 53 pessoas de 45 a 65 anos. Elas foram divididas em dois grupos: um recebeu treinamento supervisionado por dois anos e outro fazia apenas ioga e treino de equilíbrio (considerado como grupo de controle).


No início dos testes, os voluntários do primeiro grupo se exercitavam por 30 minutos três vezes por semana, durante três meses. A frequência e o volume com que eles faziam as atividades foram aumentando gradativamente.

Ao final dos dois anos, o grupo que praticou atividades físicas regularmente teve uma melhora de 18% na capacidade de o corpo consumir oxigênio durante um exercício (VO2 máximo) e mais de 25% no funcionamento do coração, quando comparado ao grupo de controle.

Exercitar-se deveria ser tão comum como escovar os dentes

De acordo com os cientistas, o envelhecimento sedentário pode levar a um endurecimento no músculo do coração que bombeia sangue rico em oxigênio para o corpo. “Quando esse músculo enrijece, sua pressão aumenta e o sangue pode voltar para os pulmões. É nessa hora que o coração começa a falhar”, disse Benjamin Levine, autor do estudo.

Entretanto, se o indivíduo fizer exercícios de quatro a cinco vezes por semana, esse problema pode ser revertido --atividades realizadas de duas a três vezes por semana não foram suficientes.

“Baseado em uma série de estudos feitos por nossa equipe nos últimos cinco anos, essa ‘dose’ de exercício se tornou minha prescrição para a vida”, disse Levine. De acordo com o médico, as pessoas deveriam considerar a atividade física algo tão importante como a higiene pessoal --como escovar os dentes ou tomar banho.




Curta nossa Página