segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Casal encontrado morto entre Santa Luzia e São Mamede/PB recebia ameaças, diz Polícia Civil



O casal encontrado morto neste domingo (7) às margens da rodovia BR-230, entre os municípios de Santa Luzia e São Mamede, no Sertão paraibano, era alvo de ameaças, segundo a delegada da Polícia Civil, Daniela Quirino, responsável pela investigação do caso. A informação foi divulgada após o depoimento de familiares das vítimas à Polícia, na cidade de Patos. “Temos algumas informações de ameaças envolvendo as vítimas e isso está sendo apurado”, revelou.


As vítimas, Guilherme Alves do Nascimento Júnior, de 52 anos, e Tayza Kelly Lopes de Morais, de 27 anos, foram encontradas sem vida dentro do próprio carro que viajavam com várias marcas de tiros. Os dois voltavam de uma viagem da cidade de João Pessoa, com destino ao município de Patos, quando foram alvos de vários disparos de arma de fogo. O casal mantinha uma relação há cerca de um ano.

Os tiros segundo a Polícia Civil foram efetuados com o carro em movimento, no trecho do Km 305 da rodovia BR-230. “A informação inicial da PRF seria de um acidente de trânsito, mas ao chegar ao local foram encontradas várias marcas de tiros. O veículo foi alvejado ainda em movimento, e na sequência, o condutor perdeu o controle da direção e saiu da pista. Os primeiros indícios da perícia apontam que mesmo após o veículo sair da rodovia e parar, diversos disparos foram efetuados contra as vítimas, o que nos confirma o crime de execução”, revelou Daniela Quirino.

Medida protetiva

Ainda de acordo com Daniela Quirino, Tayza Kelly tinha uma medida protetiva registrada na Delegacia da Mulher contra o ex-companheiro. “A vítima, a mulher de 27 anos tinha uma medida protetiva contra o ex-companheiro e isso está sendo verificado. Esse é mais um indício para a investigação do caso e pedimos para as pessoas, em caso de alguma informação, que usem dos canais de denúncias da polícia no sentido de denunciar alguma suspeita que tenha relação com a situação”, concluiu a delegada.

Sepultamento

Guilherme Alves era funcionário da secretaria de Finanças do município de São José de Espinharas e foi sepultado na tarde desta segunda-feira (8), no cemitério público São Miguel, em Patos. Já o corpo de Tayza foi sepultado na cidade de São José de Espinharas, também nesta tarde.

Jornal da Paraíba




Curta nossa Página