[Notícias Recentes][6]

Brasil
Caicó
Ciência
Curioso
Entretenimento
Esporte
Mundo
Nordeste
PB
Política
RN
Saúde
Seridó
Tecnologia

Por dívida, Justiça determina que Belo não receba pagamentos de emissoras


Por conta de uma dívida com o ex-jogador e comentarista de futebol Denílson, o cantor Belo está sofrendo com possíveis penhoras na Justiça, que vão desde seus bens – como aparelhos eletrônicos e obras de arte – até mesmo ao valor que é repassado ao cantor quando emissoras de TV utilizam suas músicas na programação.


A decisão tomada pelo juiz Carlo Mazza Britto Melfi na 5ª Vara Cível de São Bernardo do Campo engloba ganhos que Belo teria com a Globo, SBT, Record TV, Bandeirantes, Gazeta e RedeTV!.

Confira abaixo trechos do documento referentes à penhora:

“4) Expeça-se, com urgência, mandado de penhora no endereço indicado pelo exequente em fls. 1965, 1º §, a ser cumprido por oficial de justiça desta Comarca de São Bernardo do Campo. A penhora deverá ser realizada apenas sobre bens de propriedade do executado e que tenham expressivo valor, podendo incidir sobre aparelhos eletrônicos, objetos de arte e outros bens que ultrapassem as necessidades comuns correspondestes a um médio padrão de vida (fls. 833, II, do CPC).5) Retifique-se o nº do CPF do executado”

“7) Visando a penhora para satisfação do crédito, oficiem-se as empresas Rede Globo, SBT, Record, Bandeirantes, Gazeta e Rede TV, determinando que efetuem o deposito judicial, à disposição deste Juízo, de eventual crédito que o executado faça jus, por si ou como representante das empresas das quais é sócio, a saber: Marcelo Pires Vieira Produções Artísticas (CNPJ 02.478.308/0001-72); Yannes Produções Artísticas Ltda. (CNPJ 12.824.635/0001-92); Yannes Bells Salão de Beleza Ltda. (CNPJ 12.825.481/0001-53) e Jacob Barbosa Confecções de Roupas Ltda. (CNPJ 12.843.682/0001-83). Neste aspecto, observo que nenhum crédito relacionado aos direitos do executado Marcelo Pires Vieira deverá ser pago a ele ou a qualquer outro titular, cabendo o depósito nos presente autos. Cabe ao exequente a retirada e encaminhamento dos ofícios, comprovando nos autos a entrega.”

Fonte: Estadão



Curta nossa Página

Start typing and press Enter to search