[Notícias Recentes][6]

Brasil
Caicó
Ciência
Curioso
Entretenimento
Esporte
Mundo
Nordeste
PB
Política
RN
Saúde
Seridó
Tecnologia

Criador do Android lança smartphone que vai “sacudir” a indústria


anigif-fgcell

Andy Rubin, o criador do sistema Android, anunciou hoje a chegada do Essential, o seu novo e aguardado smartphone. O projeto é o resumo de como Rubin vê o mercado atual de smartphones. Em um texto de apresentação, publicado no site da Essential, ele afirma que o sistema Android ajudou a criar um mundo no qual “pessoas são forçadas a brigar contra a tecnologia que deveria simplificar suas vidas”.


Os passos iniciais da empresa mostram como Rubin pretende lutar contra o problema criado também por ele. O smartphone Essential é, em resumo, um produto simples e, aparentemente, de qualidade. Ele chega com uma característica importante em 2017: uma “tela infinita” – com bordas estreitas e bom aproveitamento da porção frontal do smartphone.

A tela é de 5,71 polegadas com resolução de 2.560 x 1.312 pixels. A sua proporção é de 19:10, um pouco diferente da proporção dos displays do LG G6 (18:9) e do Galaxy S8 (18,5:9), outros exemplos de “tela infinita” no mercado.

Diferentemente do Mi Mix (smartphone da Xiaomi com design parecido) em que a câmera frontal está localizada na parte inferior do celular, a do Essential se manteve na parte superior, mas é cercada por uma região sem pixels (veja na foto).

Aliás, a câmera selfie tem sensor de 8 megapixels e pode filmar em 4K. A câmera traseira, de 13 megapixels, é dupla. Diferentemente de outros smartphones, a segunda câmera não é zoom–ou teleobjetiva. Ela tem, na verdade, um sensor monocromático que promete capturar luz melhor do que as câmeras tradicionais. Outra possibilidade seria o usuário usar esse sensor mono para fazer fotos em preto e branco.

O novo aparelho de Rubin é construído a partir de uma combinação de titânio e cerâmica. Segundo a empresa, tais materiais foram escolhidos para que o gadget sobreviva a testes de queda “ao contrário dos dispositivos concorrentes de alumínio”.

O smartphone não traz logotipo nenhum da Essential. Segundo Andy Rubin, um celular é “sua propriedade pessoal, é uma expressão pública de quem você é”. Não é porque a empresa criou o dispositivo que “você deve ser forçado a anunciar esse fato a todos em sua vida”, aponta Rubin no site do Essential.

Por dentro, o smartphone tem tudo para bater de frente com os principais dispositivos do mercado (leia-se iPhone 7, S8 e Google Pixel). Seu processador é um Qualcomm 835, a memória RAM é de 4 GB e o armazenamento interno é de 128 GB (sem entrada para cartão microSD). A bateria é de 3.040 mAh.

Modular

Como o Moto Z da Lenovo, o aparelho de Rubin tem um conector magnético localizado perto da câmera e do sensor de impressões digitais. A partir dele, é possível conectar acessórios. Os primeiros apresentados são uma câmera 360 graus e um carregador de bateria.

A câmera pesa menos de 35 gramas, tem quatro microfones e duas câmeras de 12 megapixels f/1.8 UHD (3.840 x 1.920). Xiaoyu Miao, engenheiro responsável pelo acessório, escreve no site da Essential que a maneira como usamos as câmeras não mudou muito historicamente. “As pessoas pegam uma câmera, apontam a lente e procuram algo particular para capturar com base em um visor. Um campo de visão muito limitado.” Fonte: Exame




Curta nossa Página

Start typing and press Enter to search