Ultimas
Aguarde..

Vídeo mostra detentos armados com facões brigando em pátio de presídio em PE

anigif-fgcell


Um vídeo enviado pelo Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária de Pernambuco (Sindasp-PE) mostra uma briga de facões entre dois detentos do presídio Presídio Juiz Antônio Luís Lins de Barros (PJALLB). As imagens foram feitas na última quarta-feira (31), na unidade prisional que integra o Complexo do Curado, na Zona Oeste do Recife. Entretanto, elas só foram divulgadas nesta terça-feira (6). [Veja vídeo aqui].

O caso ocorreu no pavilhão P do PJALLB. Nas imagens, é possível ouvir gritos de incentivo enquanto dois detentos, um só de calção e outro de camisa verde, “duelam”. O que está sem camisa luta com dois facões na mão. Outros presos também portam o mesmo tipo de arma ao assistir à briga.

De acordo com o presidente do Sindasp-PE, João Carvalho, um preso ficou ferido e foi encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) dos Torrões, na Zona Oeste. O estado de saúde dele ainda não foi divulgado.

Essa não é a primeira vez que uma ação como essa é registrada no Complexo do Curado. O presídio é marcado por rebeliões, superlotação e brigas entre facções. A rivalidade entre grupos é apontada por Carvalho como sendo a motivação do último confronto filmado.

“O chaveiro [detento com bom comportamento que detém a chave e é responsável pelo pavilhão] solta um preso e esse vai para a área de outra facção. Isso é briga de facções, milícias dentro do presídio. Eles brigam pelo controle do pavilhão”, explica.

Para o presidente do sindicato, a ação poderia ser evitada se o sistema prisional tivesse um número adequado de agentes penitenciários. “Infelizmente, o Estado está sendo omisso. Ele tem que colocar efetivo, mas só anuncia o concurso. Diz que vai fazer, mas não marca. Enquanto isso, o efetivo vai reduzindo com a inauguração de novas unidades”, afirma. Ele declara que o remanejamento afeta diretamente o plantão.

“No Complexo do Curado, antes, tínhamos um plantão com 20 agentes. Hoje, são quatro, cinco pessoas para tomar contar de toda uma unidade. Não tem condições, porque não é só observação de detendo, há também os trabalhos burocráticos”, denuncia.

O G1 entrou em contato com a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres), que confirmou a briga entre os detentos e informou terem sindo ambos socorridos para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) dos Torrões, retornando para a unidade prisional no mesmo dia. Na nota, a secretaria aponta que os dois foram "encaminhados à delegacia para providências cabíveis e submetidos ao Conselho Disciplinar da unidade".
A Seres apontou ainda que está em andamento o concurso público para agentes de segurança penitenciária e que o edital com 200 vagas de nível superior deverá ser publicado nos próximos dias.


erica