Ultimas
Aguarde..

Laudo ITEP: Professor morto por adolescente no interior do RN levou 47 facadas; necrópsia ainda aponta que vítima foi degolada

anigif-fgcell


Quarenta e sete. Este é o número total de facadas que tiraram a vida do professor aposentado Raimundo Geilson Carlos de Araújo, de 57 anos, assassinado na quarta-feira (31) em Antônio Martins, município do Oeste potiguar. Além das cutiladas, necrópsia feita pelo Instituto Técnico de Perícia (Itep) também atesta que a vítima foi degolada. Um garoto de 15 anos confessou ter matado o professor. Apreendido, ele foi autuado por ato infracional análogo ao crime de latrocínio (roubo seguido de morte).

"Informações preliminares repassadas pelo perito do caso à família e à polícia provam que o adolescente mentiu em depoimento e que ele foi extremamente cruel", ressaltou o delegado Erick Gomes. No depoimento, o adolescente relata ter dado algo em torno de 10 golpes no professor porque ele teria tentado fazer sexo à força.
O adolescente está em Caraúbas, cidade da mesma região, onde aguarda vaga em um centro de internação para cumprimento de medida socioeducativa. “Continua aqui, conosco, à espera da designação de uma vaga junto ao Centro de Internação de Adolescentes Infratores (Ciad) e da intimação formal da decisão decretando sua internação”, ressaltou o delegado.

O crime
Raimundo foi morto por volta das 3h. Já o adolescente, acabou apreendido por volta das 9h30. E foi ao acaso. “Depois do homicídio, ele fugiu levando roupas e a moto do professor. Ele queria vender a moto. Então deixou a cidade de Antônio Martins e partiu com destino a Mossoró. Antes, ao parar em Caraúbas, saiu oferecendo o veículo por 2 ou 3 mil reais. Até tentou se hospedar em uma pousada da cidade. Não foi aceito porque não tinha documento algum para apresentar. Nem mesmo da moto. Foi quando as pessoas desconfiaram e chamaram a polícia. Fomos atrás dele e, já por volta das 9h30, o encontramos em um bar, onde tomava cerveja”, relatou.

Sem documentos, o garoto foi levado para a delegacia e revistado. “Ele estava de sapato e meias. Quando tirou o calçado, vimos que os pés dele tinha manchas de sangue. Foi aí que ele se complicou e confessou tudo, admitindo que roubou a motocicleta após ter matado o professor. Ele nos levou até a casa, no sítio onde o professor morava, e lá encontramos o corpo”, acrescentou Erick.

Raimundo Geilson Carlos de Araújo tinha 57 anos. Ao longo dos últimos 15, deu aulas para crianças do ensino fundamental no Sítio Trincheira, comunidade rural de Almino Afonso, município vizinho a Antônio Martins. “Quando ele se aposentou, em maio, a escola fechou porque não tinha ninguém que assumisse o lugar dele. Então nós pintamos o prédio e transformamos a escola em um posto de saúde, onde eu passei a atender a comunidade”, disse o médico Gilliano Carlos, primo do professor Raimundo.

G1


artesenovidades