Ultimas
Aguarde..

Brasil bate Colômbia por 2 a 1 e vence segunda consecutiva com Tite

anigif-fgcell


Por Folha/SP

Contra os adversários que lhe trazem as piores memórias de sua carreira, Neymar saiu vencedor nesta terça-feira (6).

O meia-atacante do Barcelona marcou o gol decisivo da vitória por 2 a 1 sobre a Colômbia na Arena da Amazônia, pelas eliminatórias da Copa de 2018, e chegou a 48 com a camisa da seleção brasileira, empatando com Zico na quarta colocação histórica, atrás somente de Pelé (77), Ronaldo (62) e Romário (55).

Com a vitória, o Brasil chegou à segunda colocação das eliminatórias da Copa de 2018, com 15 pontos, atrás somente do Uruguai, que tem 16. Para terminar a rodada na vice-liderança, torce para o Equador não vencer o Peru.

“O campeão voltou”, é o que cantavam quase 40 mil pessoas na Arena da Amazônia assim que os jogadores da seleção brasileira pisaram no gramado, impulsionados baterias de escolas de samba. Além da vitória, os jogadores da seleção brasileira voltaram a mostrar consistência tática e controle de jogo, e foram muito saudados pelos presentes após o apito final, marcando o novo momento de aproximação entre a torcida e o time.

Do jogo, ficou apenas como ressalva a necessidade de mais controle emocional do time em momentos de adversidade.

Como contra o Equador, durante boa parte da partida os jogadores movimentaram-se continuamente e trocaram passes com precisão, avançando ao ataque ainda lentamente, mas com erros apenas pontuais. O mantra da compactação, da transição ofensiva pelas laterais e das triangulações, professado por Tite, esteve bem configurado.

No início, a seleção brasileira deu pinta de que repetiria a qualidade da atuação e o placar elástico que teve contra o Equador na quinta-feira (1º). O lance do gol, logo a um minuto de partida, teve a assinatura do trabalho de Tite.

Jogando na posição em que atua no Barcelona, no lado esquerdo do ataque, Neymar tentou driblar o marcador e conseguiu um escanteio. A jogada do gol foi repetição de situação ensaiada exaustivamente nos seis treinos que Tite deu à equipe, três em Quito, três em Manaus: Neymar cobrou o escanteio, o zagueiro Miranda se adiantou aos marcadores e abriu o placar.

Envolvida pelos passes, a Colômbia não conseguia nem se aproximar da área brasileira quando, aos 35 minutos, achou um atalho. Em cobrança de falta, James Rodríguez lançou e Marquinhos desviou de cabeça empatando a partida com um gol contra.

O empate teve efeito psicológico claro, e os jogadores brasileiros se desorganizaram. Caçado em campo (foram cinco faltas ao longo do jogo), Neymar foi quem mais deu mostras de ter se abalado. O atacante do Barcelona passou a insistir em jogadas individuais pouco promissoras e, em uma delas, ao perder o domínio da bola, fez dura falta em Murillo e levou o cartão amarelo.

Ainda que continuasse a se defender bem, o Brasil não conseguia criar chances reais de gol. E o talento individual fez a diferença. Philippe Coutinho, pedido em coro pelas arquibancadas, entrou no lugar de Willian. Ele recebeu a bola de Giuliano e encontrou Neymar livre na esquerda, que chutou cruzado e deu a vitória ao Brasil.

GUERRA DE NERVOS

Parte do efeito psicológico sofrido com o empate se deve ao fato de que a Colômbia desenvolveu rivalidade recente com a seleção brasileira, após jogos marcados por rispidez física e paridade técnica.

Na Copa do Mundo, Neymar levou uma joelhada do lateral colombiano Zuñiga nas costas. O brasileiro fraturou uma vértebra e ficou fora do vexame dos 7 a 1 para a Alemanha.

Um ano depois, após jogar mal na derrota por 1 a 0 na Copa América, Neymar se irritou, chutou uma bola no lateral Armero, deu cabeçada no zagueiro Murillo e foi expulso ao trocar empurrões com Bacca.

NOVIDADES

Os próximos compromissos do Brasil pelas eliminatórias acontecerão em 7 e 11 de outubro, contra Bolívia e Venezuela, respectivamente. Nas próximas semanas, o técnico Tite divulgará nova lista de convocados, que deve ter novidades.

O zagueiro Thiago Silva, do PSG, e o meia-atacante Douglas Costa, do Bayern de Munique, recuperaram-se de lesões e já estavam nos planos do treinador em sua primeira convocação. Outro jogador que o técnico observa de perto é o volante Fernandinho, do Manchester City.



artesenovidades