Ultimas
Aguarde..

Cerimônia de encerramento terá tributo a festas regionais e Carnaval

anigif-fgcell


Uol - A cerimônia de encerramento da Olimpíada vai se entregar ao Carnaval. Com menos protocolos que a abertura, o próximo domingo (21) promete ser de festa.

Saem Fernando Meirelles, Daniela Thomas e Andrew Andrucha e entra Rosa Magalhães, uma das maiores vencedoras de desfiles da Marquês de Sapucaí.

Depois de uma cerimônia que recebeu elogios mundo afora, a diretora tem o desafio de carimbar a impressão que ficou: de show, o Rio de Janeiro é medalha de ouro.

"A responsabilidade é igual. [A abertura ter sido linda] não muda muita coisa para mim", disse a carnavalesca, em entrevista à Folha.

Os temas centrais como a cultura e a mensagem de sustentabilidade permanecerão.

"Mas essa cerimônia será mais festiva. O ambiente das festas regionais ganha mais corpo. O carnaval terá um papel maior, com tributo ao carnaval de rua", disse Leonardo Caetano, diretor das cerimônia do Rio-2016.

Martinho da Vila será uma das principais atrações. Ele cantará "Carinhoso", um dos clássicos da música popular brasileira, composta por Pixinguinha, e "As Pastorinhas", de Dalva de Oliveira.

A Folha teve acesso a uma parte do ensaio desta quarta-feira (17). Presente, a atriz Leandra Leal não quis dizer qual seria seu papel na cerimônia. "Eu não posso falar nada, assinei contrato", disse. Apesar disso, tudo indica que ela representará a si mesma como embaixatriz do bloco Cordão da Bola Preta, considerado o maior do Rio.

Paulinho da Viola, que cantou o hino nacional na abertura, será substituído por crianças, que ao som de tambores, soltarão a voz.

As coincidências com o Carnaval não param por aí. O orçamento também é igual.

"Eu gastei R$ 4 milhões. É a mesma coisa que gasto para uma escola de samba", contou Rosa.

A cerimônia de encerramento será mais compacta, com cerca de 3 h, sendo que 1h30 é dedicada à parte protocolar, como os discursos e os desfiles das delegações. Pelo menos 3.800 pessoas estão envolvidas nesta cerimônia, 3 mil delas voluntários.

Como ocorreu com o Rio em Londres, a cidade de Tóquio, que sediará a Olimpíada de 2020, terá uma apresentação de oito minutos, próximo ao final do encerramento.

Muito elogiadas na abertura, as projeções serão mantidas, mas não sem a mesma estrutura.

Feliz em fazer parte da Olimpíada, que ela diz que faz bem para a confiança do brasileiro e do carioca, Rosa Magalhães guarda só uma chateação: não fará nem uma só vez um ensaio no Maracanã.

"A Fifa não deixou. É triste isso. Muito triste. Mas a gente vai fazer o que, né?", finalizou.

Segundo Leonardo Caetano, o estádio terá menos de 24 h para se preparar, intervalo entre o espetáculo e a final do futebol.



anigif-BANNER