Ultimas
Aguarde..

Caicoense que teve Kombi incendiada por criminosos é destaque nacional em reportagem do portal Uol

Foto de Ilmo Gomes
anigif-fgcell


O caicoense Francisco Eneias de Medeiros, 59 anos, morador do bairro Paulo VI em Caicó, que teve seu instrumento de trabalho incendiado por bandidos durante a madrugada da ultima quarta feira, é destaque nacional em uma reportagem do portal Uol, veja abaixo a matéria ou clique aqui e veja diretamente no portal.

A madrugada de quarta-feira (3) vai ficar marcada para sempre na vida e na pele do motorista Francisco Eneias de Medeiros, 59, morador da cidade de Caicó (RN). Ele teve o braço esquerdo e parte da cabeça queimados durante a tentativa de salvamento do seu ganha-pão: uma Kombi branca, modelo 1998. O veículo foi totalmente destruído ao ser queimado por criminosos quando estava estacionado na calçada em frente à casa de Medeiros. Até agora, a polícia não tem pistas dos autores do crime.

O Rio Grande do Norte vem sofrendo há uma semana ataques criminosos com incêndios em veículos de transporte coletivo e carros de órgãos públicos, além de assaltos e atentados contra prédios públicos e pontos turísticos.

A série de crimes iniciou um dia após governo do Estado instalar bloqueadores de sinal de telefonia celular no PEP (Presídio Estadual de Parnamirim). No último dia 28, áudios de supostos presos ameaçavam a série de ataques criminosos que seria instalada em Natal em retaliação à instalação dos equipamentos.

Conhecido pela gentileza com que trata seus passageiros, Francisco de Medeiros ganhou o apelido de "Chiquinho Coletivos". Ele trabalha transportando passageiros na sua Kombi há mais de dez anos, do centro até bairros da periferia de Caicó.

A cidade tem 62,7 mil habitantes e entrou para as estatísticas da polícia como um dos 38 municípios do Rio Grande do Norte atingidos pela série de ataques criminosos. Até agora, a Sesed (Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social) já contabilizou 32 veículos incendiados por criminosos em todo o Estado.

Chiquinho contou, em entrevista ao UOL na noite desta quinta-feira (4), que acordou com o cheiro de borracha queimada na madrugada. Foi olhar pela janela o que estava se passando na rua.

Desesperou-se ao ver a Kombi pegando e correu para tentar salvar o veículo. As chamas consumiram rapidamente o veículo e o motorista decidiu afastar a Kombi para o meio da rua para que as chamas não atingissem a casa e o carro do filho.

"A Kombi estava parada com o motor para dentro da minha garagem, onde estava estacionado o carro do meu filho. O fogo pegou na frente da Kombi. Para que o incêndio não atingisse a minha casa e nem o carro do meu filho, eu tive de empurrá-la para a rua mesmo ela pegando fogo", contou Chiquinho.

Foto de Ilmo Gomes

Ele se queimou e não conseguiu ajudar a mulher, Avanir Geralda de Oliveira, 58, que passou mal e desmaiou. O casal foi socorrido para o hospital municipal, foi medicado e recebeu alta horas depois.

"Fiquei muito nervosa e passei mal ao ver meu marido naquela situação e ainda o risco da kombi explodir aqui em casa. Infelizmente, perdemos o carro que tiramos nosso sustento, mas agradecemos a Deus por estarmos todos vivos", disse Avanir.

A família relatou que está assustada com a ação de criminosos e contratou um vigilante para ficar na frente da casa por temer que novos ataques.

A Polícia Militar informou que realizou buscas logo após o incêndio, mas não prendeu nenhum suspeito. A polícia acredita que o incêndio foi provocado de forma aleatória, como vem ocorrendo em outros bairros de Caicó e cidades do Rio Grande do Norte.

Violência

Segundo o último boletim da Sesed (Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social), divulgado às 19h45 desta quinta (4), 106 pessoas foram presas ou apreendidas acusadas de participarem de atos de vandalismo no Estado.

Já foram registradas 109 ocorrências, sendo 63 incêndios, 31 tentativas de incêndios, sete atentados usando arma de fogo com disparos feitos contra prédios públicos e proximidades, quatro envolvendo artefatos explosivos e quatro depredações. Até agora, 32 ônibus e micro-ônibus foram queimados.

Na noite de quarta (3), presos do PEP, inconformados com o funcionamento dos bloqueadores de sinal de telefonia móvel, tentaram danificar os aparelhos provocando incêndio no muro da unidade prisional. Eles usaram pedaços de colchões, lençóis e madeira para fazer uma fogueira junto ao muro e atingir a torre do bloqueador. O governo do Estado informou que em 90 dias todas as unidades prisionais do Estado terão bloqueadores de sinal de telefonia móvel instalados.

Temendo mais ataques a ônibus, rodoviários vêm recolhendo a frota de ônibus em Natal e região metropolitana antes do horário. Nesta quinta-feira (4), os ônibus fizeran as últimas viagens às 22h. Moradores do Rio Grande do Norte estão assustados com os ataques e evitam sair de casa. Aulas foram suspensas e os ônibus em Natal estão sendo recolhidos no período noturno.

Para ajudar no combate ao crime, 1,2 mil homens do Exército, da Marinha e da Aeronáutica chegaram a Natal para reforçar as ações de segurança que estão sendo adotadas para coibir atentados criminosos. A Operação Potiguar, como foi denominada as ações integradas das forças armadas em conjunto com as Polícias Civil e Militar do Rio Grande do Norte, recebeu 920 do Exército, 220 da Marinha e 60 da Aeronáutica.


anigif-fta-popular