Ultimas
Aguarde..

Após ataques, 12 presos do Acre são transferidos para o RN

anigif-fgcell

Após uma semana de ataques no estado, o Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC) fez a transferência de 12 presos, que cumpriam pena no presídio Francisco D'Oliveira Conde, em Rio Branco, nesta sexta-feira (26). Os detentos foram encaminhados para o presídio Federal na cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte.

A operação para a transferência iniciou durante a madrugada desta sexta e os presos foram levados em um avião da Polícia Federal, segundo o secretário de Segurança Pública, Emylson Farias. Outros oito presos, também considerados como lideranças de grupos criminosos no estado do Acre, foram transferidos do Francisco D'Oliveira Conde para o presídio de Segurança Máxima Antônio Amaro.

"Esses presos foram levados em comboio para o aeroporto de Rio Branco, lá foram feitos exames de corpo delito para serem encaminhados para Mossoró. São 12 pessoas de alto poder lesivo, que fazem parte do crime no estado e que têm certa liderança no mundo do crime. Não descarto a hipótese de outras transferências", afirmou o secretário.

Mais de 100 pessoas foram presas em todo o estado do Acre desde o início dos ataques, segundo informações da Segurança.

Quanto aos detentos transferidos para o presídio Federal, Farias afirma que se tratam tanto de pessoas presas durante as operações realizadas nos ataques, como de outros que já estavam no sistema prisional.

O diretor do Iapen, Martin Hessel, afirmou que com as transferências é possível que a situação dentro do presídio seja "tranquilizada". "Existe a questão de presos que têm comando em relação à motins e rebeliões, e nesse sentido, entendemos que essas transferências vão trazer uma certa normalidade de comportamento, tendo em vista que são pessoas que tinham essa liderança", disse.

Início dos ataques
A onda de atentados teve início após Macio Pires Teles do Nascimento, de 18 anos, morrer em uma troca de tiros com a polícia no bairro Vila Acre, na terça (16). Segundo a PM, Nascimento fez uma família refém durante um assalto e, ao tentar fugir, entrou em confronto com a PM e foi baleado.

Uma das nove ocorrências registradadas na primeira noite foi a perda total do arquivo cultural do Parque Capitão Círiaco. A Sesp-AC anunciou uma operação com a convocação de 373 agentes das polícias Militar, Civil, Federal e Rodoviária Federal (PRF), do Exército, do Corpo de Bombeiros e do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTrans), além de representantes do Ministério Público (MP-AC) e do Judiciário.


PEDÃO AUTO