quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Tropa de elite da Marinha enfrenta treinamento de guerra na Caatinga potiguar


anigif-fgcell

A caatinga potiguar foi o cenário escolhido para o treinamento de guerra da tropa de elite da Marinha do Brasil. O Curso Especial de Comandos Anfíbios (Comanf) em solo norte-rio-grandense tem duração de três dias. Os alunos começaram a caminhada no município de Lajes e percorreram cerca de 40 quilômetros, passando pela localidade de Recanto, finalizando na cidade de Cerro Corá.

>>>Leia mais notícias do Caicodigital.com

Com o intuito de preparar os militares para garantir a lei e a ordem, além de realizar operações contra facções criminosas, o treinamento é realizado em 25 semanas – não consecutivas -, com os alunos enfrentando situações adversas em todo o País, em cenários diversos como o Pantanal, Amazônia e regiões do Sul do país, nas proximidades das fronteiras com outros países sul-americanos.

O treinamento é dividido em três fases. A primeira é a que exige o maior esforço físico por parte dos alunos e que provoca, em geral, o maior número de desistências. A segunda abrange o conceito técnico. A parte reúne as duas partes iniciais num treinamento prático.

No início, a preparação contava com 43 alunos, mas o alto nível de exigência física e mental dos aspirantes ao grupo de elite fez com que apenas nove alunos chegassem ao desafio em solo potiguar, nesta 22ª semana de atividades. O grupo na fase final do curso é formado por cinco cabos, três oficiais e um sargento.

“Nossa intenção é que mais alunos finalizem o curso, mas o nível do grupo precisa ser alto e exigimos muito deles. Então, é natural que nem todos consigam”, destacou o encarregado pelo curso, o capitão de corveta Fabrício Barroso.

As principais dificuldades apontadas pelo Suboficial Martins, instrutor da disciplina Semi-árido, são o terreno que, no caso da Caatinga apresenta uma característica que atrapalha a locomoção, em razão da vegetação espinhosa.

O encerramento será realizado no Espírito Santo, na cidade de Marataízes, com treinamento específico em ambientes anfíbios – cenário de região pantanosa.

Peso nas costas
Se todas as dificuldades ao longo do percurso não fossem suficientes, os alunos ainda precisam lidar com um peso extra. Cada um carrega em suas costas uma mochila com cerca de 30 kg.

O conteúdo? Basicamente itens para a própria sobrevivência, como água, alimentação e equipamentos de comunicação. Além disso, os participantes carregam armamentos em punho.

Em relação à alimentação, o que mais chama atenção é para tipo de alimento. A bolsa especial que armazena a comida traz um cardápio “variado” com quatro refeições que vão desde um café da manhã com , passando por tabletes de cereais com frutas, rapadura, café com leite e açúcar, um almoço com picadinho de carne ao molho e arroz, até espaguete ao molho de carne e salsichas.

Comanf
Os Comandos Anfíbios são uma força de elite do Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha brasileira. Eles congregam os fuzileiros navais especificamente preparados para realização de operações especiais.

Atualmente, os militares realizam ações no Haiti, país da América Central que enfrenta crise interna, no Líbano e na Angola.

Fonte Portal no AR

banner-impacto

Nenhum comentário:

Postar um comentário